Revista Nº 11

Índice

  • 5 - Editorial
  • 8 - Respirar a Oração
  • 10 - Viva a Crise
  • 12 - O efeito Sombra do Materialismo
  • 16 - Cultura Espiritual
  • 18 - O Fim do Livre Arbítrio
  • 20 - A Nova Raça da Humanidade: a do Amor
  • 22 - Amor Incondicional
  • 26 - O Poder do Amor Divino
  • 28 - Liberdade e Responsabilidade
  • 30 - Somos o que comemos
  • 32 - Flores na Cozinha
  • 34 - Terapias Bioenergéticas
  • 39 - Terapias não convencionais na área da Saúde?
  • 40 - Doces Alternativas
  • 44 - Qigong
  • 46 - Outra Forma de Educar
  • 48 - O Caminho da Paz
  • 50 - Uma Estória de Detetives… Privados
  • 52 - O Sentido da Vida
  • 56/ 59 - Terapeutas Bolsa de Emprego
  • 60/ 65 - Notícias/projeto
  • 66 - Livros
  • 70 - Agenda

   

Revista Nº 11 - Setembro/ Outubro 2012

192 visualizações

Editorial

De coração para coração

A cultura espiritual é uma chamada à responsabilidade de cada um. É uma nova postura, uma forma diferente de Estar. É Ser. É perceber que o Divino dentro de nós é parte integrante do nosso Ser, que nos eleva e ilumina.

Temos responsabilizado os outros por tudo o que nos acontece; temos passado o nosso poder interno para o outro. Sem referências, ao iniciar o nosso caminho de descoberta espiritual, constatamos a falta de compromisso e responsabilidade no ato de adorar - a adoração acontece no coração e não em ações exteriores.

“Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos. Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.” (João 4:22-24).

Todos estamos a ser chamados para assumir as nossas próprias responsabilidades. Uma nova consciência se desenvolve e a cultura espiritual é o primeiro degrau no nosso caminho. Esta cultura exige que cultivemos a verdade, a paz interior e exterior, o desapego, a não violência, a confiança no invisível, a cooperação e a partilha. Assim, podemos salientar que, num triângulo de Amor, Verdade e Luz, damos um passo na senda espiritual.

Quando vivenciamos a cultura material, ficamos estagnados ou mesmo marginalizados do processo transcendental. Se a iluminação for a nossa vontade, temos que trazer para o nosso dia a dia a cultura espiritual, para que possamos iniciar a harmonização com o que existe de imutável e verdadeiro.

O espaço da cultura espiritual é a consciência de cada um que, livremente, substitui a cultura material pela cultura de valores eternos. Nesta vivência de cultura espiritual, cada um de nós possui as condições necessárias para seguir um caminho de libertação.

O nosso trabalho espiritual não é com a sociedade ou com os outros. É, primeiramente, connosco. A nossa primeira tarefa é curarmo-nos e estarmos íntegros em pensamentos e atitudes. Para isso, é importante fazer, de forma ininterrupta, a introspeção e a auto análise dos nossos valores espirituais.

O cultivo dos valores espirituais permite uma permeabilidade em harmonia com o ritmo do Universo, absorvendo energias que nos vão elevar ao mais alto nível de consciência para, assim, transcender o espaço e o tempo.

“Cultuar é avivar a consciência pela santidade de Deus, alimentar a mente com a verdade de Deus, purificar a imaginação pela beleza de Deus, abrir o coração ao amor de Deus, devotar a vontade aos propósitos de Deus”.

William Temple

De coração para coração

Maria de Fátima Ribeiro

Fotos

Lançamento da 11ª edição
Lançamento da 11ª edição

Vídeo

Revista Nº 11