Lurdes Pinheiro

O PODER DA COMPAIXÃO

Por Lurdes Pinheiro em Outubro de 2021

Tema Desenvolvimento Pessoal / Publicado na revista Nº 23
137 visualizações

Todos nós, seres humanos, de uma forma ou de outra e, em algum momento, exercemos sobre nós, sobre os outros ou sobre o mundo, o poder da compaixão.

Compaixão, significa cuidar com paixão (amor genuíno). Toda a compaixão deve começar primeiro dentro do “eu”, o ser que somos. Só podemos cuidar dos outros, natureza e mundo, depois de nutrirmos o nosso mundo interior e, o corpo, o templo da alma.

O sentido de Auto verificação, deve funcionar de forma precisa, no nosso intelecto (capacidade de análise), para que alimentemos o corpo, com os nutrientes essenciais, à preservação da sua saúde.

Nutrir a alma com pensamentos positivos, sentimentos puros, leituras edificantes e a companhia de outros seres, que nos inspirem à nossa evolução, é também um grande ato de compaixão.

Muitas vezes ficamos sem coragem, ânimo e entusiasmo para realizar mesmo uma tarefa simples. Nesse caso, devemos conversar connosco próprios e questionar: - Porque me sinto assim? Quais foram os pensamentos que criei nesta última hora? Foram úteis, inúteis, positivos ou negativos? 



Se crio pensamentos úteis (aqueles que se relacionam com as tarefas diárias), não existe perda de energia. Se são positivos (como por exemplo: tenho força e talento para realizar esta tarefa), aumento a energia mental, exercendo o poder da compaixão (doação) sobre a minha mente.

Se os pensamentos que crio forem inúteis (sobre questões do passado, que não têm solução no presente) ou negativos (aqueles que negam, retiram a força anímica), pensando que não tenho energia, a saúde é frágil e ninguém me ajuda, estarei a criar padrões mentais, que me afastam instantaneamente da compaixão e amor-próprio. Estou inclusive, a alimentar a alma com a energia tóxica da negatividade que, por sua vez, vai influenciar a saúde do corpo, já que a alma e o corpo estão diretamente ligados.

Neste contexto de influência entre o corpo e a alma, a nossa alimentação, tem uma importância primordial, no estado de Auto compaixão e, compaixão com a natureza, animais e cinco elementos.

Se, por exemplo, a minha experiência me diz, que a alimentação vegetariana, contribui para a saúde física e espiritual, já que não envolve sacrifício, mas sim, compaixão pelos animais, devo prosseguir com essa alimentação.  

A saúde da alma, combinada com a saúde do corpo, é a postura ideal, para que possamos ter compaixão por nós, pelos outros e pelo mundo em geral.

Quando estamos física e espiritualmente alinhados numa energia positiva e amorosa, plena de compaixão, cresce dentro de nós a alegria genuína, de cooperar com o mundo em geral, através dos tesouros que Deus nos dá, tais como, pensamentos, conhecimento, virtudes, poderes, bons votos e sentimentos elevados.

A maior compaixão que experimentamos é, através do poder do pensamento. Este, é a energia criadora, mais poderosa do Universo. Quando ligamos a mente à Mente Suprema, através da meditação Raja Yoga, enviamos a Sua energia de virtudes e poderes, sobre a natureza, cinco elementos e todos os seres. É desta forma, que juntos, somo instrumentos da Fonte Divina, para criar um Mundo Novo - A Idade do Ouro futura.

Lurdes Pinheiro

 Escritora Membro Fundador e Membro Coordenador Nacional  Brahma Kumaris – Academia Para Um Mundo Melhor









ARTIGO SUGERIDO

 Um conceito que promove a perspetiva integrativa entre valores femininos e masculinos

Um conceito que promove a perspetiva integrativa entre valores femininos e masculinos

Francesca Scanu
Por Francesca Scanu em Agosto de 2021
Tema Desenvolvimento Pessoal / Publicado na revista Nº 22
144 visualizações

Anti frágil : um conceito que promove a perspetiva integrativa entre valores femininos e masculinos, para uma sociedade realmente global. 

«Na teoria não há diferença entre a ...
Ler mais

OUTRAS LEITURAS

Dharma Marketing

Por Paulo Vieira de Castro
870 visualizações

O autor parte para a dimensão espiritual dando como exemplo o momento em que nos deparamos com alguém. Deste encontro nasce uma terceira entidade que é a alma da relação; porque seria ...
Ler mais