Alberto Andrade

Os 5 Elementos!

Por Alberto Andrade em Setembro de 2020

Tema Sociedade
780 visualizações

No artigo anterior falamos de um conceito importante no Feng Shui: os 5 Elementos. Estes são a Água, Madeira (ou Árvore), Fogo, Terra e Metal. Estes elementos não são apenas substâncias físicas; são, sobretudo, uma qualidade de energia que se manifesta de inúmeras formas.

Os elementos relacionam-se entre si e esse relacionamento pode ser positivo ou negativo. No Feng Shui existem três ciclos principais: Ciclo de Geração (ou Produção), Ciclo de Enfraquecimento e Ciclo de Controlo.

A figura abaixo esquematiza a forma como os elementos se inter-relacionam entre si em cada um dos ciclos.

1. Ciclo de Produção

Melhora os aspetos positivos de uma construção. Neste caso temos Madeira que alimenta Fogo; Fogo que alimenta Terra; Terra que alimenta Metal; Metal que alimenta Água e Água que alimenta Madeira.

2. Ciclo de Enfraquecimento

Elimina os aspetos negativos de uma construção. Teremos, então, Madeira que enfraquece Água; Água que enfraquece Metal; Metal que enfraquece Terra; Terra que enfraquece Fogo e Fogo que enfraquece Madeira.

3. Ciclo de controlo

Usado em práticas mais avançadas de Feng Shui, determina qual elemento controla o outro. Neste ciclo há como que um confronto entre os elementos, pelo que deverá ser utilizado com algum cuidado, não vão os efeitos ser contrários aos pretendidos. Madeira controla Terra; Terra controla Água; Água controla Fogo; Fogo controla Metal e Metal controla Madeira.

Por outro lado, cada elemento está associado a uma estação: Madeira está relacionada com a Primavera, o Fogo com o Verão, o Metal com o Outono e a Água com o Inverno. A Terra está associada à chamada quinta estação.

Quanto às formas, elas dividem-se em vertical (Madeira), triangular (Fogo), quadrada (Terra), redonda (Metal) e irregular (Água). Nesta última, por forma irregular entende-se uma estrutura complexa, mais arredondada que angular.

Como dissemos, a energia de cada elemento também pode ser obtida através das cores. Estas dividem-se em Yin e Yang, podendo-se, de uma forma geral classificar da seguinte forma:

1.2. Azul

O azul ocupa grandes extensões do nosso planeta – o céu e o mar – frente aos quais adoptamos uma atitude contemplativa, séria. Em excesso conduz ao isolamento, à introspeção e à frieza.

A utilizar: Quartos com luz natural intensa ou em climas quentes, escritórios, salas de jantar de pessoas obesas ou que desejem emagrecer (o azul inibe o apetite).

Não utilizar: Lugares onde vivem pessoas depressivas, teatros, climas frios, cozinhas e salas de jantar.

1.3. Preto

É a ausência total de cor. Utilizado de forma acertada evoca um ar de mistério, recetividade, profundidade e sofisticação. Mal utilizado associamo-lo à morte e doença.

A utilizar: Para evocar um ar de mistério e sensualidade.

Não utilizar: Habitações com crianças, cozinhas, espaços relacionados com a saúde e lugares onde se queira estabelecer uma comunicação fluida entre as pessoas.

1.4. Rosa

Certos tons de rosa encontram-se entre as cores que produzem o máximo efeito relaxante. Associado tradicionalmente à feminilidade, ao romantismo e à sensibilidade. Para algumas pessoas resulta num estado “afetado”.

A utilizar: Em lugares destinados ao relaxamento e descanso.

Não utilizar: Lugares de trabalho e estudo.

2. Cores Yang

2.1. Vermelho

É a cor que transmite a máxima energia. Associa-se ao calor e ao movimento. Serve para chamar a atenção.

A utilizar: O vermelho pode-se utilizar para atrair a atenção ou dirigir o fluxo de chi até onde se pretenda, como, por exemplo, um canto obscuro. O vermelho puro deve utilizar-se com moderação. As pessoas depressivas podem beneficiar com a utilizção de objetos vermelhos.

Não utilizar: Deve evitar-se o excesso de vermelho em locais de trabalho (distrai), nos locais de descanso (exceto no caso de pessoas depressivas) ou em locais públicos ou onde acorra muita gente (incita à violência)

2.2. Laranja

Expressa a união com o universo, razão pela qual a encontramos na túnica dos monges budistas. Os tons derivados do laranja, como o pêssego e o salmão, são excelentes para gerar uma sensação de unidade e fraternidade.

A utilizar: Salas de estar, quarto de hóspedes.

Não utilizar: Lugares onde se requer fazer trabalhos que necessitam de concentração, como escritórios.

2.3. Branco

Soma de todas as cores. O branco ilumina tudo e nada esconde. Irradia pureza e limpeza; em certos casos pode gerar uma sensação de vazio e frieza.

A utilizar: Quartos de banho e de dormir.

Não utilizar: Climas muito frios (recorda a neve) e quartos de crianças pequenas.

2.4. Verde

É a cor da vida vegetal e da Primavera. Evoca crescimento, expansão, tranquilidade e rejuvenescimento. Em alguns casos é associado à imaturidade e à instabilidade.

A utilizar: Havendo boa luz natural, nos quartos, salas de estar, quartos de banho, quartos de crianças pequenas e lugares onde há que gerar ideias novas e criativas.

Não utilizar: Lugares obscuros, quarto de adolescentes.

2.5. Púrpura

Uma cor rara na natureza; expressa exclusividade e autoridade.

A utilizar: Escritórios de pessoal com hierarquia, quarto de adolescentes

Não utilizar: Salas de estar e de jantar.

Alberto Andrade

Bom Feng Shui!



ARTIGO MAIS VISTO

A magia das palavras

A magia das palavras

Paula Rocha
Por Paula Rocha em Abril de 2020
Tema Sociedade
4571 visualizações

O nosso comportamento, as nossas acções são o resultado dos nossos pensamentos e os pensamentos criam-se com palavras. Se aquilo que dizemos para nós próprios é que não vamos conseguir, ...
Ler mais

OUTRAS LEITURAS

Murmúrios de um Tempo Anunciado

Por Pedro Elias
Caminhos de Pax, Lda.
274 visualizações
Murmúrios de um Tempo Anunciado é um romance histórico que atravessa um dos períodos mais intensos do Cristianismo. De Décio a Constantino, das perseguições à instauração do dogma, de ...
Ler mais